O que aprendi

É importante estudar e ter conhecimento, mas uma boa estratégia é essencial

Hoje quero dividir com vocês mais uma experiência vivida em relação ao universo dos estudos e dos concursos públicos, isso porque ontem, dia 23/09/2018, finalmente fiz a prova da Câmara Legislativa do Distrito Federal em minha área: Consultor Técnico em Administração.

 

Bem, vamos começar pela preparação. Como todos sabem, sou bastante ocupado, com muitas trabalhos e, como bom virginiano que sou, estou sempre buscando melhorar tudo que faço, uma persequição incessante e ingrata pela perfeição. Pois bem, não consegui estudar, mas montei a minha estratégia, que foi a seguinte:

 

  • Analisei a banca e a configuração do edital;
  • Decidi que não estudaria as matérias de Português, Direito Administrativo, Regimento, RIDE, Administração e Gestão de Pessoas;
  • Como não tive tempo de estudar com antecedência, peguei a última semana e, nos últimos três dias, não dormi, virei a noite estudando;
  • Enfatizei a parte de Constitucional relativa ao Legislativo, com atenção especial ao processo legislativo, o que passei a comparar com a LODF;
  • Peguei depois AFO com bastante cautela, relembrando os pontos que são mais chatinhos;
  • Migrei para o meu maior desafio e a parte mais pesada da prova: Auditoria, Análise de Demonstrativos Contábeis, Plano de Contas, Contabilidade Pública, no que fiquei os últimos três dias e madrugadas (e aprendi de verdade!);

 

Bem, minha análise inicial e a estratégia teriam funcionado bem, pois minhas previsões se concretizaram: só caiu contabilidade e AFO na parte específica. Gestão de Pessoas e Administração, uma piada de tão fácil. Porém, pouquíssimas questões. Sei que, antes de fazer a prova, tive minha conversa com Deus. De modo bem sereno, pedi a Ele que deixasse o melhor acontecer… Sou muito inseguro quanto a deixar o MPT, pois estou feliz aqui. Sei que a prova começou e eu estava bem tranquilo. Pensei bem brevemente se começaria pelas básicas com português ou se iria direto para a específicas. Fiquei com a primeira alternativa e não foi uma boa escolha…

 

Bem, a prova foi muito estranha. Confesso que estava fácil, porém complexa. Aqui vem a minha falha: eu não treinei antes e não simulei a situação de prova, portanto, não dimensionei bem o tempo e não saí de casa com uma estratégia firme para a execução. Perdi muito tempo em português e nas de constitucional e administrativo. Elas requeriam muito raciocínio, isso porque havia muitas situações hipotéticas com aplicação da lei para serem analisadas. Para que tenham ideia de como a prova da FCC é puxada, façamos um cálculo:

 

  • Multipliquem 60 por 3. Teremos, ao todo, 180 minutos para a prova;
  • De 180 minutos, retirem, no mínimo, 5 minutos com os fiscais te desconcentrando, passando para colher assinatura e aquelas coisas que vocês conhecem;
  • Descontem mais 5 minutos para o banheiro, sob uma perspectiva otimista (a mais otimista seria sublimar as necessidades fisiológicas e não ir);
  • Retirem também, no mínimo, 20 minutos para a marcação do gabarito;
  • Retirem também, no mínimo, 5 minutos para ler os dois textos de português, relativamente complexos;

 

 

Em termos práticos, teríamos 145 minutos para a execução das questões, o que dá uma média de 2,4 minutos para cada uma. Eu não fiz o cálculo antes, galera… e foi um erro imperdoável. Vou colocar então um quadro comparando tudo que fiz e o que hoje eu considero que seria uma boa estratégia para essa prova:

 

O QUE EU FIZ

O QUE EU DEVERIA TER FEITO

Comecei pelos conhecimentos básicos e fui avançando, na ordem, para os conhecimentos específicos; Faria na ordem, tudo que mais sei do específico e, à medida que uma questão gerasse dúvida, marcaria um asteriscos mudando para a próxima;
Perdi muito tempo com as situações hipotéticas, tentando a todo custo responder cada questão na ordem em que apareciam; Responderia tudo de administração e gestão de pessoas, depois tudo de AFO, depois auditoria, constitucional e administrativo. Deixaria para depois as de contabilidade pública e, quando travasse em alguma questão, não insistiria para responde-la;
Deixei para marcar o gabarito somente ao final e, não hora de passar, faltando 10 minutos para o término, pulei uma linha e acabei marcando errado, o que me fez perder uma questão que eu tinha certeza de ter acertado; Faria tudo que tivesse certeza e já marcaria suas respostas para poder seguir tranquilo com a resolução das questões controversas;
Quando o tempo estava acabando e havia 20 questões para analisar, fui lendo às pressas e marcando o que tinha maior probabilidade de ser em uma análise muito superficial. Perderei muitos pontos que acertaria com certeza se houvesse mais tempo. Meus chutes foram randômicos; Quando o tempo estivesse acabando e não fosse mais possível raciocinar, chutaria com letras que não tivessem saído mais vezes ao longo da prova;
Fui ao banheiro uma vez e passei por detectores de metal para entrar, para sair, para respirar… perdi aí uns 5 minutos; Teria usado uma fralda geriátrica ou deixaria de beber água com 24 horas de antecedência da prova… rs.
Decidi fazer um concurso da FCC e não tive tempo para montar a estratégia ideal quanto à execução, mas foi ótimo no planejamento. Provas do CESPE e nunca da FCC. Brincando! Deveria ter simulado provas em casa, mas não teria tempo NUNCA!

 

Foi isso! Espero que minha experiência os ajude a ter uma maior compreensão de todo o processo, do quanto é importante se planejar, montar estratégias e estudar de forma correta. Ainda, saibam que estudar e ser “inteligente” não garante nada… precisa de método, sistematização, de compreensão de si e da banca, da dinâmica da coisa, de como cada banca se comporta. A prova, portanto, medirá menos conhecimento e selecionará os mais preparados para a tortura física e psicológica que era passar por tantos entraves.

 

Ahh, uma coisa mais. Eu não fiquei triste e nem desapontado não. Essas coisas acontecem e estou certo de que o melhor sempre vem. Pela experiência, eu só agradeço! Aprendi mais coisas e modos de melhorar o meu trabalho, além de poder dividir com vocês minhas experiências, esperando que elas ajudem os ajudem a alcançar seus sonhos.

 

Fiquem com Deus, abraço forte, sucesso e bons estudos!

2 Comentários

  1. Guilherme Ritchelli Albuquerque Neri

    24 de setembro de 2018 at 14:51

    Prof, na prova de técnico eu meio que já tinha uma estratégia, comecei pelas que eu mais sabia, a parte específica, logo depois fui pra RIDE, português e por último a matéria detestável, matemática, mas fiquei surpreso com tantas questões de matemática, e cada uma exigia um raciocínio e vários cálculos, sobrou pouquíssimo tempo pra fazer a redação e marcar o gabarito, mesmo assim não acho que fui horrível na redação, enfim, aprendizado!

  2. Suellen

    24 de setembro de 2018 at 22:24

    Adorei!!! Excelentes dicas! Sua sinceridade te torna especial! 😘

Faça um Comentário